14 de agosto de 2013

Tira a mão da Boca!


Isso é algo que escuto sempre, infelizmente eu tenho o péssimo habito de roer as unhas, juntei vários textos para ajudar a explicar, infelizmente não fui salvando as fontes e referências, o post de hoje é sobre Onicofagia.


A Onicofagia é uma mania /vício/compulsão, isso depende do nível de cada um. Para algumas pessoas o ato é tão inconsciente que os que sofrem deste mal, nem se dão por conta que o fazem, roer é como fumar, beber ou comer demais. A estimativa é de que um terço da população sofra de onicofagia. Dependendo do caso é indicado um tratamento psicológico para achar a verdadeira causa do problema. 

O ato de roer unhas é uma ação considerada um tanto embaraçante em algumas culturas. É às vezes relacionado à raiva reprimida contra os pais, pode estar relacionado a distúrbios e desordens temporomandibulares. Além da tensão e ansiedade, outros fatores contribuem para esse péssimo hábito. O tédio, o cansaço, o estresse, o nervosismo e as vezes até a fome.Este hábito pode começar a partir dos três ou quatro anos de idade. Pode até ser considerado normal para essa fase do desenvolvimento da criança, já que o roer tem certa relação com a “independência” do pequeno.


Segundo os dermatologistas e terapeutas corporais, na maioria dos casos o hábito começa na infância. Principalmente em famílias onde os adultos não dão muito espaço para que as crianças manifestem suas próprias opiniões ou digam o que querem. O próprio gesto de levar a mão até a boca lembra uma criança indefesa, acuada. 


É na faixa dos 3 ou 4 anos que a criança começa a fazer coisas sozinhas. É o início dos desafios, pois já não recebe tudo prontinho como na fase de bebê. Acontece que às vezes ele consegue passar pelos obstáculos apresentados. Mas outras não. E quando não consegue executar algo, o pequeno pode ficar ansioso. O que ele pode fazer para minimizar a tensão? Isso mesmo: roer a unha. 

A melhor maneira de acabar ou diminuir a oniofagia é conversar e conscientizar a criança sobre o mau hábito. Dizer que é perigoso para a saúde, já que as unhas estão normalmente sujas e pode entortar os dentes. A criação de gestos para ser usado na frente de outras pessoas que só você e o seu filho saibam para que ele retire a mão da boca é importante para que não se sinta envergonhado.Realizar atividades relaxantes com a criança e oferecer um espaço para que expresse seus medos, angustias e dúvidas são muito importantes. Promova elogios a todas as atividades que a criança consiga realizar e incentive as que não consegue. Nunca deprecie ou humilhe na frente de outras pessoas. 

Se a criança estiver roendo as unhas, não chame a sua atenção. Simplesmente lhe dê um brinquedo, peça para que te ajude em alguma atividade ou peça para que cantem uma música juntos. A criança sem perceber cessará o hábito.A preocupação pode aumentar quando a criança rói as unhas e ainda apresenta um comportamento incomum, como agressividade, medos exagerados, choro e baixa tolerância a frustração. Nesses casos, é melhor procurar ajuda especializada de um

Se os pais perceberem que os filhos roem as unhas em momentos de tensão, evite que assistam a filmes ou desenhos que contenham perseguições, suspenses ou de terror.Colocar pimenta ou outra substância amarga nos dedos também não resolve. Para a criança, parece que os pais estão punindo-a. Não há motivo para punição, já que roer as unhas é um ato compulsivo e não porque a criança quer. 

Muitas vezes o roer de unhas pode ser uma imitação dos pais, do irmão ou de um amiguinho da escola e nem sempre provém de alguma ansiedade. É bom estar de olho nos modelos que a criança copia. Normalmente, a imitação é um hábito passageiro. 

                          
Ou então durar até os 16, 18 anos, com picos de melhora e piora. Para alguns, pode permanecer durante toda vida.Após a adolescência, o hábito de roer unhas é geralmente substituído por outros hábitos, como mordiscar a ponta do lápis, morder os lábios, etc. Em adultos esse hábito também é normalmente substituído, já que é visto como um hábito anti-higiênico por outros adultos. 

Roer as unhas danifica o esmalte dos dentes, deixando-os menos protegidos e mais expostos para aparições de cáries. Além disso, o contato direto dos dedos da mão na boca ocasiona diversas doenças causadas por fungos, bactérias e até vírus. 






                 Outros Motivos Possíveis. 

Agressividade reprimida – Roer as unhas pode ser interpretado como a inibição da agressividade, principalmente quando se convive com pessoas muito autoritárias e não se pode expressar adequadamente a agressividade. Aqui agressividade não é agressão, mas sim posicionar-se com coragem e assertividade, sem medo, dizendo o que pensa e clarificando a sua perspetiva, sem ceder à pressão e às intimidações. 

Comportamento Obsessivo-Compulsivo – Nesta perspetiva, roer as unhas faz parte de um ritual, de forma a baixar a sua ansiedade geral. Não tão reativo e extrínseco como na primeira interpretação, mas interno e intrínseco. Neste caso pode nem existir contato com acontecimentos que provocam ansiedade. 

Automutilação – Numa interpretação extrema, a pessoa ao roer as unhas está literalmente a comer-se a si própria. Nesta extrema perspetiva, roer as unas pode significar automutilação ou mesmo desrespeito com um dos progenitores, visto ao comer-se a si própria parece por em causa a sua própria existência



Roer as unhas e puxar com a boca a pele da cutícula causam a chamada paroníquia crônica que é uma infecção da pele ao redor das unhas. A paroníquia é caracterizada por inchaços, vermelhidão e aumento da sensibilidade. 

A doença interfere no formato das unhas e até comprometer o seu crescimento, porque é debaixo da cutícula onde está a matriz da unha, ou seja, onde ela é gerada. Além do mais o aspecto de desleixo é inevitável. 

Quando a pele em volta das unhas é devorada, os dedos sofrem a pressão até não suportarem e o sangue vaza entre as cutículas estraçalhadas é o momento de parar. 


Medicação 

Algumas medicações têm se mostrado eficazes para a roer de unhas. As medicações utilizadas para tratar o problema incluem potentes anti-depressivo.É importante salientar que o uso de anti-psicóticos para tratar a onicofagia isso não quer dizer que o paciente sofra de psicose. 

Uma outra opção é o uso da vitamina B . Ela reduz a vontade de roer unha ao aumentar a atividade de serotonina no cérebro. A serotonina pode estar relacionada à desordens do sistema nervoso. 

Terapia comportamental 

É um processo de quatro partes que busca "desacostumar" a pessoa do hábito e possivelmente substituí-lo por outro hábito mais construtivo. Além do TRH (Treinamento de Reversão de Hábito) , a terapia de Controle de Estímulo é usada tanto para identificar quanto para eliminar os estímulos que freqüentemente geram a vontade de roer unhas. 

Outro método pode ser o hábito de fazer as unhas semanalmente, no caso das mulheres um esmalte de cor escura ajuda bastante. Afinal sabendo-se que é um distúrbio, valerá a pena controlar-se para ter unhas impecáveis! 

Algumas pessoas acham a terapia de hipnose um tratamento benéfico. 

Para evitar que a pessoa leve a unha à boca e tentar frear a compulsividade, há produtos manipulados a partir de receitas prescritas por médicos. Existem também opções já prontas no mercado. Os produtos são amargos para tentar causar repulsa à pessoa que tem o hábito de roer. Entre as opções à venda, está a Solução Para Unhas Roídas, da Avon, que custa R$7. Pode ser usado sozinho ou sobre a unha pintada, já que é incolor e não altera a aparência do esmalte. Mas não pode ser usado em crianças menores de 12 anos. Outra alternativa é o Impala Care - inibidor do hábito de roer unhas (R$ 6,80), que deve ser aplicado na camada mais superficial da unha. 

Outra Dica é usar durante um tempo unhas postiças!
Espero que depois dessa pesquisa eu consiga parar ...
Beijos Pri


2 comentários:

  1. É uma mania muito ruim para a pessoa que pratica. Eu tenho mania de puxar a pelinha que fica sobrando na lateral da cutícula, mas roer as unhas e tudo o mais assim tão forte não.
    Que nome feio onicofagia ! hehehe
    Bom o post, esclareceu muitas curiosidades sobre o assunto.
    Bj

    ResponderExcluir

Comente Muito Mais...